Uerj firma acordo com agência de cooperação do Japão para criação de cátedra de estudos sobre o país asiático

17/03/202216:47

Diretoria de Comunicação da Fortune Mouse

Uma nova parceria vai ampliar os estudos relacionados ao Japão na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Foi assinado, na última quinta-feira (10), acordo de cooperação com a Japan International Cooperation Agency (Jica) para criação da Cátedra Fujita-Ninomiya. A iniciativa terá a coordenação conjunta do Instituto de Letras e da Faculdade de Direito.

A Jica é uma agência do governo japonês responsável pela implementação de ações para contribuição no crescimento econômico e social de mais de 150 países. “Dentre os vários temas a que nos dedicamos, consideramos de grande importância a formação de recursos humanos. E pensamos que as universidades são parceiras indispensáveis para essa missão”, afirmou Masayuki Eguchi, representante-chefe do escritório da agência no Brasil. 

A cátedra faz parte do Programa de Estudo de Desenvolvimento do Japão, criado pela Jica em 2015 com o objetivo de compartilhar as experiências exitosas do processo de modernização do país asiático, difundindo sua história e formação cultural. Em todo o mundo, já existem 40 bases; a da Uerj é a segunda no Brasil, depois da Universidade de São Paulo (USP), aberta em 2019.

“A relação entre a Uerj e o Japão é antiga, já teve desdobramentos em várias unidades acadêmicas. Hoje, essa relação encontra o seu ponto mais elevado. E quero agradecer por a nossa universidade ter sido escolhida para firmar esse acordo”, celebrou o reitor Ricardo Lodi.

O cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Ken Hashiba, ressaltou a acolhida e o interesse brasileiros pela cultura de seu povo. “Nós nos sentimos um pouco em casa, porque aqui há uma grande comunidade de descendentes que conecta os nossos países. Estou muito feliz que a Uerj, que abriga o curso de Letras Português-Japonês e realiza diversos estudos sobre a língua japonesa, possa oferecer esse mesmo programa a seus alunos do curso de Direito. Espero que a Uerj possa se tornar uma referência ainda maior nos estudos sobre o Japão no Rio”, acrescentou.

Direito Japonês

A primeira atividade da Cátedra Fujita-Ninomiya na Uerj será a disciplina Direito do Japão, com previsão de início no próximo período letivo. As aulas ocorrerão de forma telepresencial, em português e inglês, englobando as áreas Cível e Constitucional. Os detalhes ainda estão sendo definidos.

Sol Nascente no Maracanã

Os estudos sobre a Terra do Sol Nascente começaram na Uerj em 1999, com a criação do Programa de Intercâmbio Acadêmico Cultural Contemporâneo Brasil-Japão, articulado pela Faculdade de Direito, no campus Maracanã. O projeto teve a participação do professor Masato Ninomiya (USP), que agora divide o nome da cátedra da Jica com o embaixador Edmundo Sussumu Fujita.

Nos anos de 2000 e 2001, a Universidade lançou dois cursos de extensão abertos à comunidade, envolvendo a língua e a cultura japonesas. Em 2004, foi aberta a primeira turma de graduação no Instituto de Letras com a habilitação Português-Japonês.  

Atualmente, por meio da Diretoria de Cooperação Internacional, a Uerj tem convênios com três instituições do país asiático: Kwansei Gakuin University, a Waseda University e a Tokyo University of Foreign Studies (TUFS).